DIA ABERTO DE PSICOTERAPIA a preços simbólicos continua!

Faz quase um ano que demos início a esta iniciativa solidária! Link: divulgação

UM ANO DE TRABALHO, MUITOS RESULTADOS!

A iniciativa continua! Inscreve-te (vê abaixo as condições):

CONSULTAS DE PSICOTERAPIA A PREÇOS SIMBÓLICOS PARA 12 UTENTES

Num contexto económico e social actualmente desfavorável à oferta de acolhimento psico-terapêutico, o consultório da Rua Andrade Corvo nº 11, R/C, Gab. 2 (Lisboa, Picoas) abre espaço para receber 12 utentes em psicoterapia individual a preço simbólico, às terças-feiras.

As consultas individuais, de acompanhamento, de curta ou longa duração, terão lugar quinzenalmente (uma sessão de 15 em 15 dias para cada utente).

Os interessados poderão esclarecer as suas dúvidas ou fazer marcação através do mail anamartins_psicoterapia@outlook.pt ou pelo 91458 52 91.

Com esta iniciativa, o consultório pretende afirmar o seu contributo e intervenção no campo da saúde, prevenção e exclusão social das pessoas em sofrimento psíquico e social.

A primeira consulta destina-se a avaliar o pedido e a compreender a motivação do utente de forma a que, em conjunto, se decida do interesse e da pertinência no acompanhamento.

Horário: Terças-feiras das 10 às 13h e das 15 às 18h
Duração de cada sessão: 50 minutos

Destinatários: pessoas em situação económica e/ou social desfavorável (exemplo: desempregados, pessoas no geral com rendimentos baixos) que tenham interesse em trabalhar na melhoria do seu equilíbrio e saúde mental.

Psicoterapeuta:

Ana Martins-Psicoterapeuta

Ana Martins
Psicoterapeuta não directiva desde 2001 (pela Associação Portuguesa de Psicoterapia Centrada no Cliente e Abordagem Centrada na Pessoa e pelo Network of the European Associations for Person-Centred and Experiential Psychotherapy and Counselling – PCE Europe: ). Exerce clínica privada. Doutorada em Psicolinguística (investigadora e professora universitária desde 1987) e pós-graduada em Neurociências (Neuropsicologia e Demências) pela Universidade de Barcelona. Em 2016 deixa a carreira universitária na função pública para se dedicar inteiramente à área da psicoterapia e a outros projectos pessoais e profissionais.

Foi responsável por vários cursos de pós-graduação e coordenadora de sub-unidades de investigação. Organizou cientificamente o Congresso Internacional Art, Brain and Languages (Fundação Calouste Gulbenkian e Casa da Música) com uma estrutura fortemente interdisciplinar. Foi episodicamente aluna do Conservatório de Teatro e Cinema, da Companhia Pas de Dieux (Paris) e do Curso de Fotografia na Escola ARCO. Possui formação em Psicodrama rogeriano, e breve formação em Ludoterapia (UK) e na Abordagem ao Movimento Sherborne (nível 1, UK).

BLOG: https://anamartinspsicoterapiaacp.wordpress.com

Anúncios

Encontro consigo mesmo

David White recita o poema de Derek Walcott “Love after Love”: Love after Love

The time will come
when, with elation
you will greet yourself arriving
at your own door, in your own mirror
and each will smile at the other’s welcome,

and say, sit here. Eat.
You will love again the stranger who was your self.
Give wine. Give bread. Give back your heart
to itself, to the stranger who has loved you

all your life, whom you ignored
for another, who knows you by heart.
Take down the love letters from the bookshelf,

the photographs, the desperate notes,
peel your own image from the mirror.
Sit. Feast on your life.

 

Geometria e segurança

(imagem de Eliott Erwitt)

elliott-erwitt-jpg-geometria

A geometria do mundo e a constância nos comportamentos do Outro dão-nos um sentimento de segurança, de conhecido, de esperado e confiável.

Por  consequência  ser inconstante é estar “des-geometrizado” e ser ambíguo (ao invés de transparente, claro) é transportar para o Outro sentimentos de deslocamento, confusão e insegurança.

Estas são das regras básicas do Mundo e dos relacionamentos, quase óbvias. Muitos as desconhecem, no entanto. Outros, muito delas se aproveitam.

 

 

A existência precede a essência: o que significa ser “eu”?

Um video sobre o existencialismo e a escolha existencial:

Ver aqui John Paul Sartre and the Existential Choice

 

(afirmações de Sartre da obra “O Existencialismo é um Humanismo”):

Freedom is what we do with what is done to us.”

“What man needs is to find himself again and to understand that nothing can save him from himself.”

“Man is condemned to be free; because once thrown into the world, he is responsible for everything he does.”